Execução da diretora do presidio Bangu I

No dia 06 de setembro de 2000, uma quarta-feira, por volta das 18:30 hs, a diretora do presídio de segurança máxima Bangu I, era executada quando chegava de carro oficial a sua residência no bairro da Ilha do Governador. Imediatamente comparecíamos ao local junto com a criminalística , onde várias autoridades do Estado também se faziam presentes, ficando demonstrado pelos exames iniciais de local do crime de que os criminosos conheciam bem o local; esperavam a vítima na porta de sua residência e tinham informações privilegiadas sobre a escolta policial que fora dispensada naquele dia, a pedido da vítima. No seguimento das investigações, declarações eram prestadas, denuncias eram verificadas e medidas cautelares de interceptação telefônica e quebra de sigilos telefônicos, eram representadas a justiça, com o intuito de se comprovar as suspeitas. Passados alguns dias éramos tomados de surpresa pois era anunciada a transferência abrupta da Autoridade Policial que presidia os autos e conseqüentemente todos deixávamos aquela apuração.



Pensamentos

“Aqueles que  jamais subiram morros, favelas, ou sequer conhecem de perto  os antros freqüentados por marginais, não se devem apegar com antolhos ao texto gélido da lei”.

- Daniel Gomes -