Operação Colméia

Madrugada do dia 18 de dezembro de 2012, a Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas, iniciava a operação colméia para cumprir mandados de busca e apreensão e mandados de prisão contra 22 pessoas envolvidas com roubos de cargas, caminhões e residências no Rio de Janeiro, na baixada Fluminense e principalmente na cidade de Magé. O grupo teria feito cerca de 300 vítimas roubando todo tipo de cargas, como eletrônicos, alimentos, bebidas, medicamentos entre outros e seria acusado de seqüestrar funcionários até que as mercadorias fossem descarregadas nos receptadores. As investigações demonstraram, através de flagrantes, filmagens, reconhecimentos e interceptações telefônicas, todo o “modus operadis” do grupo que era o de abordar nas vias públicas as vítimas em seus caminhões com carga, levá-las para um cativeiro onde eram mantidas seqüestradas e ameaçadas até que o caminhão e/ou a carga chegassem ao seu destino final, geralmente galpões ou locais na baixada fluminense, que eram usados e controlados por membros da quadrilha. O grupo também contava com apoio de um veículo batedor e um integrante com conhecimento técnico, capaz de desarmar ou iludir o rastreador do caminhão roubado normalmente usando um equipamento conhecido como “JAMMER”, que é um misturador de freqüência. Esse equipamento impede que o rastreador consiga completar a chamada com o administrador, não sendo possível fornecer a posição do caminhão ou da carga subtraída. As investigações também demonstraram que a quadrilha também roubava veículos, residências e transeuntes usando arma de fogo para infligir terror e violência contra as vítimas.




Pensamentos

"A Polícia Judiciária, como exemplo, deve nortear suas apurações em “provas objetivas”, principalmente contra seus membros."

- Daniel Gomes -