Operação Hipocrates

Madrugada do dia 15 de abril de 2010 era iniciada a operação Hipocrates,que consistia em dar cumprimento a 15 ( Quinze) ordens Judiciais de Mandado de Busca e Apreensão, a fim de buscar e apreender objetos e documentos ligados ao fato. A Investigação teve início com a noticia de que estariam ocorrendo fraudes nas compras de material cirúrgico utilizado no Hospital Municipal Salgado Filho, localizado no Bairro do Méier, Rio de Janeiro. Tais fraudes estariam possibilitando vultosos desvios de verbas públicas. O esquema criminoso envolveria membros da direção médica, empresários, cirurgiões e outros servidores públicos. Em uma única cirurgia de Embolização cerebral, eram utilizados materiais que custam aos cofres públicos cerca de R$ 30.000,00 (Trinta Mil Reais) As investigações idenficaram pacientes que, mesmo não tendo sido submetidos à embolização cerebral, uma vez que o aneurisma teve oclusão espontânea, constavam em assentamentos médicos como operados. Também foi possível verificar que, mesmo que o paciente utilizasse pequena quantidade de material cirúrgico durante o procedimento de embolização, os investigados cobram a maior quantidade permitida. As despesas com as cirurgias fictícias ficavam à cargo do Município do Rio de Janeiro. Considerando que o Hospital Municipal Salgado Filho é referência neste tipo de cirurgia, realizando grande quantidade de embolizações cerebrais, podemos ter uma dimensão do prejuízo causado aos cofres públicos. Todos responderão por infração ao Art. 171 (Estelionato) c/c 297 (Falsificação de Documento Público) c/c 288 (Formação de Quadrilha) todos do C.P. com penas somadas de aproximadamente  15 anos de reclusão.

Veja a Publicação do jornal O GLOBO



Pensamentos

“ A criação do banco pedagógico de Talentos, pela Secretaria de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro, não pode se transformar em mais uma frustração policial”

- Daniel Gomes -